Era uma vez um 3D…

A forma de constituição, a suspensão de actividade quando os seus objectivos (convergência de uma certa esquerda para as eleições europeias) não foram os atingidos, a sua dissolução há dias anunciada sem desvirtuar os seus propósitos nem fazer um aproveitamento indevido das adesões recolhidas e publicadas honram o Movimento 3D. E não era de esperar outra coisa de uma iniciativa dinamizada por muitos dirigentes e ex – dirigentes de movimentos unitários que sabem como é fácil perder a credibilidade quando se abusa dos aderentes.

É claro que uma convergência para as eleições europeias, visando criar uma dinâmica que se pudesse reproduzir nas legislativas, tendo em conta uma luta comum anti-troika, faria mais sentido entre o PCP e o BE, que têm assento no mesmo grupo parlamentar do Parlamento Europeu, e que nas legislativas, se houvesse algum sentido de disciplina de voto nos eleitorados, poderiam, concorrendo em conjunto,  eleger numerosos deputados por círculos distritais onde nenhum dos partidos teve alguma vez deputados, ou já os teve e os  veio a perder.  Esta coligação, desconfio, nunca será tentada.

Mas será que uma coligação BE-Livre juntando  pessoas em fase de distanciamento mútuo, com o  Livre em lançamento, e, ao que percebi, diferentes visões europeias com bilhete para diferentes grupos parlamentares,  seria mais fácil ?  Passou para a opinião pública, graças a Ana Drago, que o BE a rejeitou, com os inerentes custos de imagem, mas não me lembro de ter visto, com tanto destaque, a posição do Livre. Aparentemente Ana Drago não se lembrou na altura do Partido dos Animais e da Natureza para uma coligação a 3 e de qualquer modo não sei se o PAN português estaria disponível para, tal como os seus congéneres da Alemanha e da Holanda, ser companheiro  do PCP e do BE no mesmo grupo parlamentar europeu.

A ideia do “partido envelope” , que implicaria  que as assinaturas viessem basicamente dos aderentes do 3D  (uma vez que o Livre esgotara o mercado com  a sua legalização e o BE está, ao que parece, a perder aderentes) poderia ter pernas para andar, desde que se valorizasse a recandidatura  dos então ainda deputados Marisa Matias e Rui Tavares, se juntasse uma  “pequena personalidade” independente em primeiro ou em terceiro lugar (conforme o seu peso eleitoral) e se assumisse que após a eleição cada um escolheria o seu Grupo Europeu e o “partido envelope” se dissolveria.   Não faço a menor ideia de como as discussões foram conduzidas.

Se Miguel Portas ainda existisse, seria preciso um 3D para preparar uma convergência para as europeias ?

—————–

Há uma questão que é lateral ao 3D mas ainda me continua a incomodar: sendo o 3D reservado a não inscritos em Partidos (sei que houve quem subscrevesse a plataforma  sendo filiado), e não estando a Renovação Comunista legalizada como partido (nem estando no seu site actualizada a composição da sua Direcção)  dirigentes seus houve que estiveram na Direcção do 3D, activissimos na recolha de assinaturas, sendo ao mesmo tempo a Renovação Comunista uma das organizações políticas com quem  o 3D manteve reuniões formais.

(Fez-me lembrar o expediente imputado ao PCP de manter militantes seus dentro do MDP, quando este se legalizou como partido, e de ter montado o Partido Ecologista os Verdes)

Ainda por cima, relendo um artigo do seu dirigente Paulo Fidalgo, numa confusa análise pseudo – marxista em que o PSD e o PS eram considerados partidos da burguesia liberal, percebia -se antes de tudo isto que a Renovação Comunista só se envolveria  num movimento de convergência desde que não visasse hostilizar o PS. Será que a RC embarcou no processo 3 D com a expectativa de que, quando assinasse o Acordo que agora assinou com o PS, não o faria sozinha ?

Paulo Fidalgo ornamenta o seu artigo com uma fotografia de Jorge Dimitrov.  Jorge  Dimitrov e o VII Congresso da Internacional Comunista criaram  condições para a criação de frentes populares em numerosos países, incluindo em Portugal, às vezes em alianças bizarras (Fidel  Castro exemplificava que  o primeiro partido marxista-leninista cubano teve de fazer uma aliança com o futuro ditador  Batista). Se o actual PCP fosse ainda fiel à matriz leninista-dimitroviana que José Pacheco Pereira   e João Madeira lhe reconheceram seria mais fácil a celebração de um Acordo de Governo PS-PCP.  Mas uma coisa é um Acordo entre um PS que saiba o que quer e o PCP, com incidência parlamentar ou governativa, outra coisa é um punhado de velhos ex-dirigentes e ex-militantes transfugas (na óptica do PCP) assinarem um texto inócuo com um Secretário-Geral do PS que pode ter sido substituído daqui a uns tempos e que quando muito lhes poderá oferecer um papel do tipo que a Intervenção Democrática foi desempenhando na CDU.

 

Anúncios

Sobre ivogoncalves

65 anos Licenciado em Economia pelo Instituto Superior de Economia, Mestre em Administração e Políticas Públicas pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa, Doutor em Sociologia, especialidade de Sociologia Política, pelo ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa. Detém Diploma de Estudos Avançados (3º Ciclo) em História Moderna e Contemporânea da mesma instituição. Domínios de actividade profissional: Gestão Orçamental Pública, Auditoria e Fiscalização, Recuperação de Empresas como dirigente, técnico ou consultor e formador. Outros domínios de interesse: Sistemas de Informação. Docente do ensino superior de Setembro de 1976 a Maio de 1985 no Instituto Superior de Economia, e de Outubro de 1985 a Julho de 2010 no Instituto Superior de Gestão (integrado actualmente no Grupo Lusófona). Membro nº 15 da Ordem dos Economistas. Pertence ao Colégio de Economia Política e ao Colégio de Auditoria. Membro nº 1385 do Instituto Português de Auditoria Interna. Sócio nº 20831 da Sociedade de Geografia de Lisboa.
Esta entrada foi publicada em Cidadania. ligação permanente.

Uma resposta a Era uma vez um 3D…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s