Contributo de um não-economista para a discussão da forma de redução da taxa social única

“Ideia para Implementação da redução da TSU “acentuada e de uma só vez” mas sem a necessidade de agravar o IVA…

Exmo. Sr. ……

Estou a contactá-lo por o considerar a pessoa certa para expor esta ideia.
 
Na sequência da notícia do estudo da CIP, da semana passada, sobre a redução em cerca de 8% da TSU, apenas para a indústria, e que está a criar crispação entre os diferentes sectores e que poderá não garantir a promoção do emprego e das exportações, tive a seguinte ideia.
 
A ideia resume-se a uma forma particular de aplicar a redução da TSU de uma só vez sem necessidade de agravar o IVA. Ou seja, no âmbito de cada empresa, reflectiria-se apenas aquando da contratação de novos trabalhadores mas com total isenção de pagamento da taxa, contribuindo deste modo, a cada contratação, para a redução da TSU global de cada empresa até aos 8% (ou outro valor).
 
Assim só as empresas que efectivamente pretendam aumentar a produção (directamente ou não para a exportação) é que beneficiariam naturalmente com esta medida. Por outro lado, o grosso do financiamento desta medida seria autosustentado pela redução dos custos de apoio ao desemprego contribuindo, deste modo, para a inflexão da tendência da subida do desemprego e do pessimismo generalizado.
 
Em síntese as empresas continuariam a pagar o montante fixo da TSU correspondente ao seu histórico quer mantivessem quer aumentassem o número de empregados (até determinado ponto). Esta medida não dispensaria, no entanto, a prevista redução gradual da TSU até atingir o valor acima apresentado.
 
Mais adianto de que sou leigo na área da economia e só lhe peço o favor de me dizer se acha a ideia viável ou não. Caso ache a ideia oportuna faça o favor, a todos nós, de a fazer chegar onde é preciso da forma que entender mais adequada.
 
Com os meus melhores cumprimentos,
 
João Paulo Mendes
Docente do Instituto Politécnico de Portalegre

Estes contributos de cidadãos não – economistas deveriam motivar os políticos e os economistas a abrir mais a discussão.

Tentarei criticar em próximo post as diversas propostas existentes, incluindo a de João Paulo Mendes.

Anúncios

Sobre ivogoncalves

64 anos Licenciado em Economia pelo Instituto Superior de Economia, Mestre em Administração e Políticas Públicas pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa, Doutor em Sociologia, especialidade de Sociologia Política, pelo ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa. Detém Diploma de Estudos Avançados (3º Ciclo) em História Moderna e Contemporânea da mesma instituição. Domínios de actividade profissional: Gestão Orçamental Pública, Auditoria e Fiscalização, Recuperação de Empresas como dirigente, técnico ou consultor e formador. Outros domínios de interesse: Sistemas de Informação. Docente do ensino superior de Setembro de 1976 a Maio de 1985 no Instituto Superior de Economia, e de Outubro de 1985 a Julho de 2010 no Instituto Superior de Gestão (integrado actualmente no Grupo Lusófona). Membro nº 15 da Ordem dos Economistas. Pertence ao Colégio de Economia Política e ao Colégio de Auditoria. Membro nº 1385 do Instituto Português de Auditoria Interna. Sócio nº 20831 da Sociedade de Geografia de Lisboa.
Esta entrada foi publicada em Cidadania, Economia, Empresas. ligação permanente.

3 respostas a Contributo de um não-economista para a discussão da forma de redução da taxa social única

  1. Adriano de jesus Brandão diz:

    Penso que países mais ricos e economicamente mais seguro, fizeram esta redução ( que continua a ser superior a TSU (P)de maneira mais útil para o trabalhador e mais conrecta para a criação de emprego. Muito simples quem empregar (agora) teria a redução quem deminuir o emprego via a sua TSU amentada. Não sou economista, mas sei saborear (já saborei) prepotencia dos empregadores que só penso neles, nos testões (€..), nos seus sinais exteriores de riqueza para obter EXCELENCIA EMPRESARIAL…Fantástico! Grandes patrões que sem dinheiro, depois de garantir a sua reforma lá vão enchendo os bolsos … e os jovens que trabalhem para pagar a qualidade de excelencia da empresa… Não contem comigo para calar e ajudar estes senhores a enriquecer Portugal deixando as pessoas pobres e com o futuro hipotecado! Os trabalhadores unidos saberão ser patrões e não escravos.

  2. Pingback: Comentários a quatro propostas sobre redução da taxa social única | Comunicar

  3. Pingback: TSU: Vítor Gaspar próximo da alternativa de João Paulo Mendes ? | Comunicar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s